Ultimas Notícias

Post Top Ad

Your Ad Spot

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Grã-Bretanha proíbe escaneamento a laser em autódromos

Para decepção dos pilotos virtuais, o Reino Unido proibiu o uso da tecnologia de leitura a laser nos autódromos britânicos por medo de "dano incalculável" nos asfalto causado pelos métodos de captura utilizados pelos desenvolvedores dos simuladores de corrida.

Com o escaneamento a laser tornando-se cada vez mais popular nos simuladores de corrida modernos, trazendo um nível de detalhe em nossas pistas de corrida virtual sem precedentes de realismo, a nova lei britânica virá como um enorme golpe para as aspirações de desenvolvedores de jogos atuais e futuros na busca por métodos para capturar as nuances da pista com precisão. Na sequência da decisão anunciada, cresceu o receio de que muitos outros países irão seguir o exemplo do Reino Unido em proibir o uso da tecnologia a laser em ambientes de corrida.

Pesquisas realizadas pela Universidade Brunel de Londres nos últimos três anos revelaram que a exploração a laser do asfalto pode enfraquecer a superfície de competição em até 25% (o equivalente a sete anos de uso contínuo em corridas), enfraquecendo a integridade da base da pista, levando a reparos onerosos para os proprietários de circuitos e, o mais importante, expondo os pilotos a "níveis inaceitáveis ​​de risco para além dos considerados razoáveis ​​para o esportes a motor modernos"

O professor Gideon Thomas da universidade de Brunel explica:

"Uma pista de corrida é uma coisa viva. E com as técnicas freqüentemente invasivas empregadas pelos desenvolvedores que usam a tecnologia de escaneamento a laser nestas pistas, eles podem causar um dano incalculável. Usando uma amostra controlada de 40 materiais usados ​​geralmente na construção de uma pista moderna, a nossa pesquisa considera que os danos causados ​​a uma pista em apenas uma única sessão de digitalização provoca níveis inaceitáveis ​​de risco acima dos considerados razoáveis ​​para esporte a motor moderno"

Thomas continua, "com técnicas a laser padrão, uma superfície de pista deteriora geralmente entre 20% e 25% da sua superfície e, além disso, causa um enfraquecimento da rigidez estrutural da base. Este dano é irreversível uma vez que tenha sido causado, e não tratado poderia potencialmente significar danos permanentes que não podem ser facilmente corrigidos pelo proprietário do circuito."

O governo britânico, sob a liderança do então Primeiro-Ministro David Cameron, tinha encomendado a pesquisa após preocupações de um grupo de proprietários de pista de corrida sobre os perigos da tecnologia razoavelmente recente.

Embora o Reino Unido passe a considerar o escaneamento a laser ilegal a partir de Julho, outros países já começaram a realizar seus próprios estudos sobre os resultados produzidos pela Universidade Brunel para tomar suas próprias decisões sobre o uso contínuo desta tecnologia. Como os responsáveis ​​pela organização de corridas devem sempre garantir os mais altos padrões de segurança, este estudo recente tem um impacto negativo sobre a indústria de simuladores nos próximos anos.




https://www.flatout.com.br/gra-bretanha-proibe-escaneamento-laser-em-autodromos-diario-de-desenvolvimento-da-reiza-studios-f1-2016-chega-ao-mac-dirt-4-em-acao-e-muito-mais/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas